sexta-feira, 27 de maio de 2011

A comunicação perfeita


Quando comunicamos uma mensagem, uma coisa é aquilo que queremos dizer. Outra coisa, bem distinta, é aquilo que os outros percepcionam daquilo que dizemos. É por isso que uns conseguem fazer passar a sua mensagem e outros não conseguem. Isto aplica-se em todos os tipos de comunicação, seja na comunicação política, na comunicação empresarial, na comunicação interpessoal, etc..
Para que a nossa comunicação seja eficaz e surta o efeito desejado não basta comunicar. É fundamental que os destinatários entendam aquilo que dizemos e percepcionem aquilo que queremos dizer. Enquanto emissores, temos um quadro de referência de emissão, baseado no nosso conhecimento sobre aquilo que queremos comunicar, que condiciona o conteúdo da nossa mensagem, assim como cada receptor tem o seu quadro de referência de recepção e percepção da mensagem, igualmente baseado no seu conhecimento sobre o assunto em causa, que define o conteúdo percebido.
Uma comunicação eficaz deve ter em conta que o receptor tem muito pouca informação de enquadramento sobre aquilo que queremos dizer, ou pode mesmo não ter nenhuma informação. Se pensarmos assim, a nossa comunicação será mais simples e mais clara e seremos entendidos mais facilmente.
Em conclusão, estaremos perante uma comunicação perfeita quando os destinatários da nossa mensagem percepcionam exactamente aquilo que dizemos e aquilo que queremos dizer.

Nenhum comentário: